A história dessas canções – NIRVANA!

Vou Te contar a história dessas canções: coluna onde contaremos detalhes de como foi feita a composição de sucessos nacionais e internacionais. Hoje vou te contar a história de três do Nirvana!

Na década de 90, o rock conheceu talvez a última grande revolução no seu estilo. Apesar do fenômeno ter base num cenário de vários artistas, um deles, especificamente, foi o grande nome daqueles anos. Nirvana. A banda formada por Kurt e seu melhor amigo Krist teve uma carreira avassaladora e rápida, o que não impediu de marcar o Nirvana para sempre na história da música, como uma das maiores e mais influentes bandas da história. Os dois amigos, que anos após a criação tiveram a companhia de Dave Grohl na bateria, foram responsáveis pela criação do movimento grunge de Seattle, que ganhou eco em todo o planeta. Repleta de histórias obscuras, loucuras ao extremo e genialidade musical, misturada a muita droga, o Nirvana deixou um acervo inesquecível de músicas e histórias durante os poucos anos em que balançaram o mundo até o final trágico que todos conhecem. A fórmula da voz gritada de forma angustiada, que se misturava ao timbre da guitarra, junto a uma energética bateria e baixo destacado, sempre alternando com versos mais tranquilos, foi capaz de conquistar milhões e milhões de fãs e influenciar a música que viria a partir deles. Hoje, venho contar histórias por trás de três músicas do Nirvana.


1 – About a girl

Parte do primeiro álbum, Bleach, About a Girl traz pela primeira vez um lado mais tranquilo e até romântico de Kurt. Na verdade, sua ideia era escrever uma balada para sua namorada da época, que cobrava dele algum sinal de amor. Porém, sua cobrança vinha através de chantagem, ao jogar na cara de Kurt que ela o sustentava e ele nunca havia feito uma música para ela. Pelo contrário, ela se queixava dos bonecos destruídos que ele tinha e das letras fúnebres de suas músicas. Enfim, atendendo a seu pedido, Kurt ouviu músicas dos Beatles por algumas horas para criar sua balada de amor. About a Girl não foi assim algo romântico, já que a letra dá mostras de que algo ali não era espontâneo. Bom para os fãs, que ganharam uma música diferente de todas as demais do álbum, que até hoje figura entre as mais ouvidas da banda.


2 – Rape Me

Após o estrondoso sucesso do álbum Nevermind, Nirvana passou a ser a maior banda do mundo. Todos aguardavam os próximos capítulos da banda. Porém, Kurt estava cada vez mais afundado nas drogas, e sua relação com a esposa Courtney Love trazia uma loucura ainda maior na sua vida. O casal havia tido uma filha em meio a toda loucura que viviam, e a justiça ameaçava tirar a guarda do bebê do casal. Vários meios midiáticos publicavam histórias caóticas sobre a relação do casal com a heroína, e Kurt elegeu a MTV como sua grande inimiga. Assim , surgiu Rape me, dedicada aquela emissora de TV. A música traz uma guitarra limpa no começo, numa batida semelhante ao grande hit Smell Like Teen Spirit, logo vindo um refrão desesperado, que reclama da situação que ele acreditava passar, de ser explorado pela mídia. Curiosamente, a banda foi convidada pela MTV para se apresentar ao vivo no prêmio anual de música da emissora, e foi proibida de tocar Rape Me. Nos segundos que antecederam à apresentação, funcionários da MTV se mostravam em pânico com a imprevisibilidade de Kurt. E ele realmente iniciou tocando os acordes de Rape Me, que fez o diretor correr para interromper a transmissão. Mas era só uma provocação e a banda seguiu para outra música.


3 – Heart Shaped Box

Mais uma do álbum In Utero, último de estúdio da banda, Heart Shaped Box é uma canção tensa do início ao fim. O nome original era Heart-Shaped Coffin. O vídeo clipe conseguiu passar visualmente todo o clima da música, e ganhou dois prêmios. A música havia sido escrita e esquecida por Kurt, que só deu atenção de novo quando sua esposa escutou em casa a gravação da canção e pediu para usar o riff, ideia logo negada por Kurt. Duas curiosidades sobre o Brasil: a primeira demo da música foi gravada no Rio de Janeiro. E a primeira execução pública, na mesma época, num festival também em terras cariocas. A letra é uma declaração de amor, dita do jeito mais característico de Kurt. Na época, um crítico musical chegou a dizer que Heart Shaped box foi a maneira mais atormentada e tortuosa que alguém já conseguiu dizer Eu te amo. Kurt dizia que fez a música após ver um filme sobre crianças doentes. Courtney deu uma outra versão, bem mais picante.


 

Essa coluna é fruto de uma parceria e foi escrito pelo super compositor Conrado Muylaert.

Sobre qual banda vocês querem saber no próximo episódio? Até a próxima!

#nirvana #kurt #kurtcobain #voutecontar #ahistóriadessascanções #composição

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo